SDSN-AMAZONIA
COMITÊ EXECUTIVO   

Virgilio Viana

Virgilio Viana é PhD em Biologia Evolutiva pela Universidade de Harvard. Organizou a discussão que levou à criação do Forest Stewardship Council (FSC), em 1993. Ele foi fundador e presidente da IMAFLORA, a primeira organização de certificação florestal na América Latina. Em 2003, se tornou o primeiro Secretário do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do Amazonas, o maior  Estado e com maior àrea florestal no Brasil e coordenou o Programa Zona Verde. Atualmente, é Diretor Geral da Fundação Amazonas Sustentável, que visa promover o bem-estar local eo envolvimento sustentável dos habitantes da floresta em toda a Amazônia brasileira; Virgilio é membro do Fórum Econômico Mundial; membro do Conselho da Agenda Global sobre Pobreza e Desenvolvimento Sustentável; membro do Conselho Consultivo Internacional do Programa de Serviços de Ecossistemas para a Redução da Pobreza (ESPA), membro do Conselho Consultivo da Royal Society's; Co-presidente do Grupo de Florestas, Oceanos, Biodiversidade e Serviços Ambientais de Rede de Soluções para o Desenvolvimento Sustentável (SDSN), bem como Coordenador da Rede SDSN para Amazônia.

Adalberto Luis Val

Adalberto Luis Val, pesquisador sênior do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA / MCTI) desde 1981, estuda adaptações biológicas de peixes para os desafios ambientais. Val tem pós-doutorado pela Universidade de British Columbia, no Canadá e já supervisionou mais de 100 alunos de cursos de graduação, mestrado e doutorado. Ele é autor de mais de 130 artigos e mais de 20 capítulos de livros. Entre seus livros estão Peixes da Amazônia, Springer Verlag (1995) e da fisiologia de peixes tropicais, Academic Press (2006). Proferiu mais de 150 seminários e conferências em todo o mundo. Foi Director-Geral do INPA / MCTI durante oito anos (2006-2014) e está coordenando o projeto ADAPTA INCT (Adaptações de Biota Aquática às mudanças ambientais). Seu laboratório tem sido apoiada por agências brasileiras de financiamento (CNPq, CAPES, FAPEAM) e organizações estrangeiras (Copper Association, The Leverhulme Trust). É membro da Academia Brasileira de Ciências, companheiro 1A do CNPq, e foi premiado com a Gran Cruz da Ordem Nacional do Mérito Científico (Brasil) e o Prêmio de Excelência da Sociedade-Fisiologia Seção American Fisheries (EUA), entre outras. Atuou como Chefe do Escritório de Cooperação Internacional do Ministério CAPES do Brasil / Educação em 2015. Atualmente, ele está estudando a respiração e as adaptações dos peixes da Amazônia às mudanças no ambiente, tanto de origem natural como as causadas pelo homem, incluindo os efeitos das mudanças climáticas.

Emma Torres

Emma Torres é Conselheira Sênior sobre Sustentabilidade do PNUD na Regional para a América Latina e Caribe. Tem mais de 20 anos de experiência na Organização das Nações Unidas (ONU), com o aumento do nível de responsabilidades que envolvem a gestão, programa estratégico desenvolvimento e as negociações para promover iniciativas de desenvolvimento sustentável a nível mundial. 
 

Ela coordenou uma iniciativa estratégica da América Latina e do Caribe: A Biodiversidade Superpotência. Emma atualmente está como diretora do Programa Regional para América Latina e Caribe, e como coordenadora executiva adjunto, PNUD / GEF uma parceria entre o PNUD, PNUMA e Banco Mundial. A gestão de Emma Torra é responsável por uma equipe de mais de 60 profissionais e mais de US $ 1 bilhão carteiras em mais de 80 países. 

Como coordenadora do PNUD, produziu "Nossa própria agenda”, e "Amazônia sem Mitos". Ambos continuam a ser um ponto de referência no campo. Atualmente é membro do Grupo Consultivo Independente sobre Sustentabilidade - Interamericana Banco de Desenvolvimento (BID). 

Emma também integra a Rede de soluções de desenvolvimento sustentável (SDSN), que é liderado pelo Prof. Jeffrey, e está trabalhando no avanço de duas principais iniciativas: SDSN Amazônia e Rio: uma cidade sustentável. A Sra. Torres possui um Mestrado em Economia pela Universidad Complutense de Madrid, na Espanha; é diplomada em Língua e Civilização Francesa pela Sorbonne de Paris, além de possuir certificados em Economia Ambiental e Mudanças Climáticas pela IIED - Universidade de Harvard.

Thais Megid Pinto

Thais tem formação em engenheira agrônomo pela Universidade de São Paulo Desde 2008 apoia a implementação de estratégias inovadoras de sustentabilidade, especialmente na região amazônica. Durante suas experiências profissionais, adquiriu habilidades analíticas e capacidade de lidar com variáveis ambientais, econômicos, políticas e culturais. Tem experiência na área de mobilização e coordenação de processos multilaterais, no desenvolvimento de novos projetos, na gestão de projetos e de equipes multidisciplinares e também, na área de relações institucionais. 

Thais já trabalhou em importantes instituições brasileiras e internacionais como Fundação Getúlio Vargas, Greenpeace, OneCarbon BV, Idesam e Imaflora. Atualmente, Thais é secretária executiva da SDSN-Amazônia na Fundação Amazonas Sustentável.

Macarena Mairata

Macarena tem formação em Comunicação Social – Jornalismo pela Faculdade Martha Falcão, atualmente é acadêmica do curso de História pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Iniciou sua vida profissional escrevendo sobre movimentos sociais, manifestações políticas e direitos humanos para o Jornalistas Livres e Mídia Ninja. Escreveu artigos acadêmicos sobre Jornalismo Ambiental e o Mercado Jornalístico.  Tem experiencias com  jornalismo ativista, tendo feito parte das ONGs Greenpeace e Médicos sem Fronteiras. Atualmente, é responsável pela comunicação da rede SDSN-Amazônia na Fundação Amazonas Sustentável.

Carolina Ramírez Mendez

Carolina tem formação em engenharia florestal pela Universidad Nacional Agraria La Molina (UNALM) em Lima - Peru e possui mestrado em Ciências de Florestas Tropicais pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA). Carolina tem experiência profissional no manejo de produtos florestais madeireiros e não madeireiros, na instalação e monitoramento de parcelas permanentes, assim como na identificação das principais espécies arbóreas na floresta amazônica peruana e brasileira. Escreveu artigos acadêmicos sobre ecoturismo, crescimento de árvores e o efeito da seca nas árvores da floresta tropical. Atualmente, Carolina é responsável pela gestão da plataforma Rede de Soluções para o Desenvolvimento Sustentável da Amazônia (SDSN-Amazônia).

Please reload