* Multilingual Content *

Dia Internacional das Florestas: conservar para o amanhã

21-Mar-2019

 

                                                                                                                              Foto: Macarena Mairata

 

 

 

Na última sexta-feira ( 15/03), mais de 1.700 greves lideradas por jovens e crianças aconteceram no mundo todo. Eles manifestaram sua preocupação pelas mudanças climáticas, pelo nosso planeta terra e nosso futuro como humanidade. Os manifestantes também exigiram que os políticos de seus países tomassem decisões mais drásticas e efetivas para frear as mudanças climáticas. Mas, o que isso tem a ver com o dia internacional das florestas?

 

As florestas, especialmente a floresta amazônica, que detém papel fundamental para regulação hídrica e climática no âmbito global, passa por um processo severo de desmatamento ameaçando desta forma a sua existência.

 

Desde 1970, a temperatura média mundial está aumentando e o ciclo hidrológico está se intensificando. Isto tem acarretado em secas e enchentes históricas na região amazônica que afetam as atividades humanas e econômicas, especialmente das populações na margem dos rios, tanto nas áreas rurais e urbanas. O Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC, na sigla em inglês) projetam que as florestas tropicais da Amazônia poderiam enfrentar fenômenos climáticos extremos de intensidades ainda maiores, aumentado a preocupação sobre a resiliência e sensibilidade das florestas tropicais frente estes eventos.

 

As atividades antrópicas pelas quais a floresta amazônica passa, como:  desmatamento, mineração, licenciamentos para exploração de petróleo, construção de hidrelétricas, pecuária, agricultura extensiva e de pequena escala, queimadas, entre outros, têm devastado 17% da extensão original da floresta amazônica. Estas atividades e os atores envolvidos nelas possuem pouca informação sobre a importância das florestas como reguladoras do clima, protetora das bacias hidrográficas, captadora de carbono e geradora de oxigênio. A floresta amazônica, a floresta mais extensa do mundo, alberga uma das maiores biodiversidade e riqueza ecológica do mundo que precisa ser preservada.

 

Neste dia Internacional das Florestas a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) faz ênfase na importância da educação sobre os ecossistemas florestais para conservá-las. Isto não só trará um benefício às 38 milhões de pessoas que habitam na bacia Amazônica e aos 385 grupos indígenas, senão à população mundial como um todo. Sendo assim, convido a cada um de vocês a tomarem ações para a conservação das florestas.

 

De onde você estiver, faça algo, mas faça. Se reúna com seus vizinhos, com familiares, com amigos ou amigas e busquem por soluções no presente para a conservação das florestas. Seja a mudança que você quer ver no mundo!  

Carolina tem formação em engenharia florestal pela Universidad Nacional Agraria La Molina (UNALM) em Lima - Peru e possui mestrado em Ciências de Florestas Tropicais pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA). Carolina tem experiência profissional no manejo de produtos florestais madeireiros e não madeireiros, na instalação e monitoramento de parcelas permanentes, assim como na identificação das principais espécies arbóreas na floresta amazônica peruana e brasileira. Escreveu artigos acadêmicos sobre ecoturismo, crescimento de árvores e o efeito da seca nas árvores da floresta tropical. Atualmente, Carolina é responsável pela gestão da plataforma Rede de Soluções para o Desenvolvimento Sustentável da Amazônia (SDSN-Amazônia).

Referências utilizadas ao longo do texto

 

Marengo, J. A. and Espinoza, J. C. (2016), Extreme seasonal droughts and floods in Amazonia: causes, trends and impacts. Int. J. Climatol., 36: 1033-1050. doi:10.1002/joc.4420

 

IPCC, 2018: Summary for Policymakers. In: Global warming of 1.5°C. An IPCC Special Report on the impacts of global warming of 1.5°C above pre-industrial levels and related global greenhouse gas emission pathways, in the context of strengthening the global response to the threat of climate change, sustainable development, and efforts to eradicate poverty [V. Masson-Delmotte, P. Zhai, H. O. Pörtner, D. Roberts, J. Skea, P. R. Shukla, A. Pirani, W. Moufouma-Okia, C. Péan, R. Pidcock, S. Connors, J. B. R. Matthews, Y. Chen, X. Zhou, M. I. Gomis, E. Lonnoy, T. Maycock, M. Tignor, T. Waterfield (eds.)]. World Meteorological Organization, Geneva, Switzerland, 32 pp. Disponível em: <https://report.ipcc.ch/sr15/pdf/sr15_spm_final.pdf>

Please reload

CATEGORIAS
Please reload

ANTIGOS
Please reload